retail

Conteúdo é a chave para o futuro do varejo

Estamos no auge do chamado apocalipse do varejo. Como os principais varejistas continuam fechando lojas em todo o mundo, mais e mais marcas estão sendo forçadas a inovar suas estratégias de varejo e a criar novas maneiras criativas de atrair compradores. E isto está tornando o espaço de varejo muito mais interessante.

Na realidade, o varejo não está morrendo; é o consumidor tradicional que deixou de existir. E à medida que as necessidades do consumidor atual evoluem, o varejo está apenas tentando alcançá-lo, e as estratégias estão evoluindo com ele. O que os clientes desejam hoje: conveniência, comunidade, curadoria, conexão e conteúdo. Esses são os cinco componentes do varejo que são da maior importância quando se trata de atrair consumidores e, por sua vez, criar um negócio próspero.

Quando se trata de conteúdo no contexto do varejo, as lojas precisam pensar no que podem fazer por seus clientes. Um ótimo lugar para começar a procurar inspiração para o conteúdo é olhar para o nosso passado e os caminhos de ambientes multimarcas como o pioneiro Selfridges. Desde o primeiro dia, a loja se concentrou em fornecer conteúdo inovador, como exibir o avião do aviador francês Louis Blériot, logo depois que ele se tornou a primeira pessoa a voar sobre o Canal da Mancha, atraindo mais de 150.000 pessoas para visitar a loja. 

Uma empresa atualmente fazendo um trabalho maravilhoso com conteúdo é o CAMP do Buzzfeed. Embora à primeira vista possa parecer uma loja de brinquedos tradicional, ela é cheia de toques divertidos, de uma porta secreta a um calçadão musical. Este é mais um exemplo de como as lojas de varejo podem criar conteúdo que dará aos clientes uma nova experiência cada vez que visitarem e dar às marcas a chance de explorar vários conceitos na busca interminável de encontrar a melhor solução possível.

Como você pode ver, o conteúdo pode ter vários sabores: comida e bebida, aulas, programas, serviços, displays nunca antes vistos e muito mais. A chave para todos eles é que, em sua essência, o conteúdo está focado no que o cliente recebe. E depois que você entender isso, poderá obter a conclusão mais importante de todas: ao oferecer conteúdo cativante, você receberá um público cativado de consumidores.

Quando se trata de decidir como tornar o conteúdo o foco da sua loja, faça estas perguntas a si mesmo:

Que tipo de consumidor eu quero receber em minha loja e como posso atender melhor a seus interesses?

Depois de entender que, ao controlar o conteúdo, você pode controlar que tipo de consumidor chega à sua loja, a única questão que resta é que tipo de consumidor você procura.

Como posso incentivar os consumidores a não simplesmente comprar, mas interagir com os produtos da minha loja? 

Crie ambientes que incentivem a interação para que os clientes possam realmente entender os produtos no local. Por exemplo, se você é uma marca de produtos para a pele, em vez de falar sobre os produtos para os clientes, crie uma oportunidade para que possam prová-los. 

Tenho os recursos para criar instalações exclusivas, contratar pessoal adicional e/ou organizar eventos especiais em minha loja?

Considere o que você está vendendo e pense em como você usa esse produto em sua vida cotidiana. Em seguida, crie uma experiência para que os clientes possam entender como eles fariam o mesmo.

Antes de mergulhar em um investimento grande, verifique se você possui os recursos para executá-lo com êxito. A partir daí, trabalhe com sua equipe para tornar o conteúdo uma prioridade, e os clientes seguirão.

Fonte: Forbes