Capgemini reconhece grandes mentes da inovação tecnológica

Anualmente ocorre o Womens Of Al Awards e em abril de 2019 o prêmio foi um dos mais especiais: as três ganhadoras do prêmio são mulheres que criaram suas Startups do zero - algo muito difícil de se manter atualmente - e ainda por cima desenvolveram a inteligência artificial em suas empresas, portanto, merecem grande destaque neste prêmio.

O primeiro prêmio foi para Camille Morvan, co-fundadora da empresa Goshaba, uma startup que criou uma sofisticada solução para automatizar a pré-qualificação de candidatos para emprego através da ciência cognitiva, gamificação e inteligência por meio de análises em Data (para entender a experiência, competência e personalidade dos candidatos).

Palavras de Camille Morvan após receber o prêmio:

“Estou muito feliz por ter participado do prêmio Women In Al Awards, pois é a primeira iniciativa capaz de criar uma dinâmica comunitária entre mulheres e homens que são apaixonados desafios tecnológicos e da inteligência artificial. Isso nos permite abrir novas perspectivas para perfis altamente qualificados, mostrando a eles que possuem um conhecimento alto e que ele é valorizado nos negócios e isso pode ter um grande impacto no mundo” disse Camille Morvan.

O segundo prêmio foi concedido para Priya Lakhani, fundadora do Century Tech no Reino Unido. O Century Tech consiste numa plataforma que utiliza inteligência artificial para adaptar diferentes estilos de aprendizados e fornecer dados de avaliação para os professores que se utilizam da tecnologia.

Após receber o prêmio, Priya Lakhani disse:

“Este prêmio é a prova de que uma boa ideia, combinada com uma determinação implacável, lhe proporcionará uma grande chance de fazer sucesso. Eu quero que todas as mulheres do mundo vejam a inteligência artificial como uma área em que elas podem prosperar”

E em 3º lugar temos a Francesca Fedeli, fundadora da empresa Mirrorable na Itália. A empresa utiliza interatividade baseada em pesquisa neurocientífica, e permite um modelo único de reabilitação em casa a por meio de terapia. O projeto se torna mais interessante ainda por conta de ser ter sido desenvolvido especialmente para crianças que sofreram danos cerebrais e que afetaram suas habilidades motoras.

As palavras de Francesca Fedeli após receber o prêmio foram:

“Acredito que o grande problema da inteligência artificial é o viés cognitivo daqueles que estão desenvolvendo o software: Se a diversidade não está em nosso meio, a ética também não estará. Por isso acredito que devemos alcançar mais equilíbrio na diversidade de gêneros, pelo bem da inteligência artificial”

Para essas três mulheres o prêmio não parou por aí, as três principais vencedoras serão apoiadas por um programa para desenvolver seus projetos, tudo isso criado pela Capgemini, e as mesmas ganharam respectivamente 5.000 Euros, 3,000 Euros e 2,000

Fonte: Capgemini